Um Ensaio Fotográfico Deslumbrante Para Fazer Você Repensar Sobre Como é um Corpo de Pilates- Larkin Clark por Myra Hirano

Às vezes Anula Maiberg surpreende os alunos em sua aula de Pilates. E não porque a co-fundadora do Estúdio Sixth Street Pilates no centro da cidade de Nova York é coberta de tatuagens e tem uma cabeleira loira esbranquicada, mas sim porque em tempos de Instagram com nossos feeds recheados de esbeltas modelos do fitness em seus selfies, a instrutora israelense simplesmente não se encaixa nesse estereótipo.

“Às vezes os novos alunos entram e levam um minuto para ajustarem suas percepções”, diz Maiberg, pontuando com uma risada. “Isso me motiva a ensinar uma aula melhor ainda.” Com suas curvas suaves e músculos tonificados, porém não traçados, ela passou um bom tempo refletindo sobre a forma do seu corpo. Como instrutor, diz ela, há uma certa pressão que você seja de um certo tipo físico, e ela não se encaixa nesse molde. Na verdade, ela ainda não se considera uma “pessoa do fitness”, como ela diz, mas está tão convencida do poder transformador do Pilates que ela dedicou sua vida a ele (ela é co-proprietária de seu estúdio East Village com Jeremy Laverdure).

Maiberg recentemente teve a chance de comemorar o seu amor pela prática quando foi convidada para fazer parte da MarchMatness, uma campanha lançada pelo guru do Pilates Benjamin Degenhardt. A Campanha consiste em espalhar a consciência em torno do trabalho tradicional de Joseph Pilates através dos exercicios do Mat Pilates, incentivando os membros da comunidade do Pilates a postar fotos de poses do livro original do Pilates, Return to Life Through Contrology, nas mídias sociais.

Quando ela decidiu fazer o MarchMatness, Maiberg admite que ficou tensa pois um monte de celebridades do fitness iam participar e ela sabia que não poderia (e não queria) competir com essas pessoas que estavam fazendo seus posts “perfeitos”. Mas então ela percebeu que poderia ser criativa e fazer algo que ninguém mais estava fazendo: postar fotos de si mesma sendo, ora, ela mesma.

Maiberg uniu-se com amigas fotógrafas, Emily Johnston e Deneka Peniston, para fotografarem ela fazendo Pilates no estúdio e em sua casa, vestindo roupas que ela ama e usa dentro e fora do estúdio (vestidos vintage e leggings arrojadas). Maiberg queria mostrar como o Pilates se parece em uma pessoa real, na vida real, e para provar que você não tem que ter um corpo esteriotipicamente magro e sarado para fazê-lo. “O projeto fotográfico definitivamente fez eu me sentir mais vulnerável”, lembra ela. “Eu estava com medo que todos os comentários seriam do tipo: Porque é que essa menina gorda está fazendo Pilates?”

Mas isso nunca aconteceu; ao invés disso, houve um feedback super positivo. “As pessoas no Facebook e no site do MarchMatness deixaram comentários dizendo que era bom ver diferentes formas representando. Algumas pessoas ainda disseram que os fez perceber que eles também poderiam fazer Pilates, e que não era só para as meninas magras e bailarinas. Valeu a pena o medo de estar no centro das atenções. ”

 

Foto: Deneka Peniston
  
Foto: Emily Johnston
  
Foto: Denek Peniston
  
Foto: Emily Johnston
 
 
Foto: Emily Johnston
 
   
“Uma não-modelo fazendo Pilates com um corpo que nos faz lembrar de nos mesmos.”

-Larkin Clark

Para saber mais sobre Maiberg e manter contato com seus projetos fotograficos, acesse o site: sixthstreetpilatesny.com

Texto extraido do Blog Well + Good e traduzido por Myra Hirano com o consentimento de Anula Maiberg.

Espero que tenham gostado e encorajado vocês!

Pilates é para TODOS!!!!!

Movimente-se!

Um bom retorno à vida!

Myra

IG: @myrapilates

Os Verdadeiros Fundamentos do Método Pilates – por Myra Hirano

Hoje estou super feliz pois esse é o post nº100 do Blog Myra Pilates e o meu 20º texto sobre o Método Pilates. Por aqui eu já escrevi sobre a teoria, fiz análise de alguns exercícios, mostrei um pouco do que eu penso, da minha experiência, já entrevistei experts no assunto e sempre com a abordagem da linha Clássica de Pilates. Tudo isso com o intuito de levar informação fidedigna para quem se interessar e um incentivo ao estudo e a análise para os pilateiros de plantão.

Inspirada na matéria “Os primeiros 5” do super querido e incrível profissional Benjamin Degenhardt para a revista Pilatesstyle desse mês, e tirando um dos temas que eu tinha guardado na gaveta, resolvi falar hoje sobre os Fundamentos do Método Pilates. 🙂

Joseph Pilates escreveu dois livros:

  • Your Health (Sua saúde)- 1934.
  • Return To Life Through Contrology (Retorno à vida através da Contrologia) – 1945.

A obra completa de Joseph Pilates contendo os seus dois livros. Existe também a versão na língua portuguesa da editora Phorte. Foto: amazon.com
Em ambos os livros ele aborda acima de tudo a importância de hábitos saudáveis para a saúde e qualidade de vida, a importância principalmente da prática de exercícios físicos. O único livro que contém exercícios é o Return to Life, com fotos do próprio Joe realizando muito bem a sua criação por volta dos 60 anos de idade, passo-a-passo de cada movimento descrito e registrado, com detalhes e dicas do próprio criador. É muito curioso pensar que alguns cursos que vendem a Formação Completa do Método Pilates sequer indicam as únicas obras do inventor dessa técnica que dizem ensinar pessoas para se tornarem professores dela. Duvidoso!

A Fundação do Método Pilates está aí, na sua obra deixada pelo próprio criador, Joseph Pilates. É verdade que se não fossem os elders, os anciões primeiros particantes/professores que treinaram com Joseph não tivessem difundido o Método e aberto seus Studios e programas de formação, poderíamos talvez nem conhecer a técnica do Joe. Devemos isso a eles! Porém, cada elder aplicou a sua forma de interpretar o Método, todos organizaram de forma mais didática e muitos acrescentaram suas outras heranças de movimento, juntamente com a sua experiência individual com Joe Pilates, já que as aulas eram em sua maioria individuais e com foco nas particularidades de cada pessoa, fazendo inclusive adaptações caso fosse necessário.

Sabe-se que os ditos 6 Princípios do Método Pilates conhecidos atualmente não foram denominados por Joseph, e sim interpretados pelos elders e seus discípulos. Por isso há diferença de uma escola para outra, umas dizem que são 5, outras citam 8 princípios, algumas dividem ou adicionam. Enfim, o que é unânime são os famosos 6:

  1. Centro
  2. Concentração
  3. Controle
  4. Precisão
  5. Respiração
  6. Fluidez

Todos acreditam que esses princípios é que fazem do Método Pilates (Contrology) uma técnica única, diferente de qualquer outra atividade física. Sim, acredito que esses princípios são de extrema importância para conseguir realizar movimentos eficientes. Mas essa abordagem me parece um pouco ampla demais no sentido inverso, pois vejo muitas pessoas achando proporcional dizer que qualquer movimento, exercício, atividade, ou esporte que você realiza, se estiver “respeitando” estes princípios então é Pilates. Isso é um grande equívoco! Primeiramente por reduzir a técnica a palavras de conceitos abrangentes, com a riqueza que o Método tem de exercícios e máquinas diferenciadas, segundo que o próprio Joseph não denominou tais princípios, e por fim acabam fazendo um efeito contrário, gerando uma desvalorização da técnica de Pilates e das demais técnicas de movimento existentes, fazendo uma comparação e distorção sem sentido. Cuidado! O que tende a ser “tudo” acaba não sendo “nada” no final.

Existem muitas formas de realizarmos movimentos de qualidade, esses princípios nos ajudam muito a chegar lá. Assim como os comandos que também são super importantes, a terminologia única da técnica, as correções posturais ideais para cada corpo, os exercícios preparatórios, etc. Mas tudo isso não faz sentido algum se não for aplicado nos exercícios originais deste Método, que antes foi denominado Contrology, e nos indica o grande sentido: a arte de controlar o corpo através da Contrologia!

Pensando em tudo isso eu cheguei a uma conclusão, os Fundamentos/Princípios do Método Pilates devem ser os seus próprios exercícios! Principalmente os do repertório do Mat Pilates. Faz sentido para vocês também? Acredito que os primeiros exercícios da sequência são a grande fundação do Método, são os movimentos primordiais para que possamos praticar todos os demais e evoluirmos na técnica, afim de colhermos todos os benefícios propostos e conseguirmos evoluir.

É verdade que o Mat é o princípio, agora observe como os seus 8 primeiros exercícios são o começo de tudo! Claro que muitos praticantes não conseguirão fazê-los de primeira, por isso podemos adaptá-los e fazer com que o praticante evolua a partir daqui. E esse crescimento acontece mais rápido do imaginamos, pode acreditar. Pilates é um sistema profundo que requer muita disciplina com uma orientação adequada.

Dos 8 primeiros exercícios, apenas um não ensinamos para o praticante iniciante, é o “The Rollover with Legs Spread“, mas conhecido como Rollover. Mas não demora muito para que isso aconteça, e são exatamente os demais 7 que nos ajudarão a chegar a ele e aos demais sequencialmente. Segue os 8:

  • The Hundred (já fiz post detalhado sobre este aqui)
  • The Roll Up
  • The Rollover With Legs Spread
  • The One Leg Circle
  • Rolling Back
  • The One Leg Stretch
  • The Double Leg Stretch
  • The Spine Stretch

Essa é a base do sistema! Somente após dominarmos a base é que conseguiremos evoluir com segurança e qualidade. Para isso, temos também as fabulosas máquinas criadas por Joe Pilates que também nos ajudam a melhorar a nossa performance no solo e nada mais além de treino, é preciso praticar para desenvolver cada vez mais essas habilidades e colher os frutos no futuro. O importante é levar à sério a Contrologia e só avançar quando estivermos seguros.

Assistam a Fundação do Método Pilates ensinada pela expert Dorothee Vandewalle, uma das mais consagradas Instrutoras de Pilates Autêntico do mundo, filmada para o Pilatesology no seu Studio e Centro de Treinamento Metropolitain Pilates em Seattle, WA, EUA.

Um bom retorno à vida a todos!
Myra

IG: @myrapilates

Principais fontes consultadas:

A Obra Completa de Joseph Pilates. Pilates, J, Miller, W, J. 2010

Pilates Anatomy. Isacowitz, R, Clippinger, K. 2011

Pilates Union

Pilates About

Pilatesstyle

Pilatesology

A Mágica do Círculo – Por Myra Hirano

O Magic Circle é um dos acessórios criados por Joseph Pilates mais populares e também um dos meus prediletos! Inclusive se tornou também conhecido e utilizado fora do ambiente de Pilates conquistando adeptos de todo o mundo fitness. Isso porque o Magic Circle é uma ferramenta versátil, pequena, leve, portátil, barata e eficaz! Ufa!!! Muita magia, não? 🙂

O nome Magic Circle foi dado pelo seu inventor, apesar de ele aparecer no mercado com outros nomes como Flex Ring, Pilates Ring, Fitness Ring, etc. Eu confesso que além de, digamos tradicionalista, prefiro mil vezes esse nome! Sabe-se que Joseph Pilates criou esse acessório para um de seus clientes, com o intuito de ajudar na consciência dos músculos do centro do corpo, o famoso powerhouse.

  

Joseph Pilates com sua invenção, o Magic Circle, e uma de suas clientes, a cantora de Ópera Roberta Peters em uma sessão de fotos que fizeram para a Revista Life . Fonte: internet.

Ainda que esta ferramenta ajude a fortalecer as pernas, os braços e os músculos internos da coxa, não deve ser usado de maneira precipitada. Isso porque, o aro flexível tem uma resistência leve para moderada. No Método Pilates, aconselha-se apenas os alunos mais avançados a utilizá-lo para aumentar o grau de dificuldade dos exercícios realizados no repertório original de solo (Mat Pilates) ou nos do Reformer, tornando-os mais desafiadores. Já no caso de alunos em fase iniciante e intermediária, podemos utilizar para ajudar o corpo a ter um bom feedback, fazendo a colocação da postura ideal e encontrando músculos mais profundos que estarão sendo solicitados nos exercícios. O Magic Circle não deve ser apertado, portanto, com muita força; ele é mais utilizado para localizar determinados músculos e trabalhar de forma mais localizada.

É verdade também que existem exercícios criados por Joe Pilates exclusivamente com este Círculo Mágico e fazem parte de um pequeno e eficiente repertório catalogado de 13 exercícios que conectam e desafiam o nosso corpo. A seguir, assista um vídeo com alguns desses exercícios ensinados pela Instrutora Alexandra Bohlinger do True Pilates Durham para o portal Pilatesology.

Um bom retorno à vida a todos!

Myra

IG: @myrapilates

The Pilates Elders, um pouco de história – Por Myra Hirano

Sabe-se que Joseph Pilates criou, desenvolveu , difundiu e trabalhou com seu Método denominado Contrology por 45 anos. Quando ele teve seu estúdio em Nova Iorque, centenas de pessoas passaram por lá, conheceram e praticaram o seu Método valioso.

Apenas alguns de seus clientes continuaram disseminando seu Método e abriram seus próprios estúdios. Eles são conhecidos como “The Elders” (os seniores), ou seja, os mais antigos professores da técnica de Pilates que abriram seus próprios estúdios. Dos 10 Elders, 3 ainda estão vivos e trabalham com o Método Pilates.

Segue a lista abaixo. Vamos conhecer a história de cada um!

  • Romana Kryzanowska (1923 – 2013) 

 Romana foi a estudante mais próxima de Joseph Pilates, sua protégé (protegida). Romana conheceu Joe Pilates no ano de 1944, mas ela se mudou para o Peru e só retornou a Nova Iorque – EUA em 1958, quando voltou a ver Joe e Clara Pilates e dois anos depois ficou cada vez mais próxima do casal em uma imersão profunda no Método e na vida do casal. Joe faleceu em 1967 e em 1971 Romana assumiu a direção do estúdio a pedido de Clara Pilates, que veio a falecer em 1977. No ano de 1989 Romana abriu juntamente com sua filha Sari seu próprio estúdio em Nova Iorque no Drago’s Gym, depois chamou o nome que leva até hoje, True Pilates, onde Romana construiu um grande legado, do trabalho mais próximo de Joseph Pilates. Ela foi considerada uma das guardiãs e a mais bem conceituada da tradição do Método Pilates Clássico mundialmente até hoje. Seu programa de formação chama-se Romana’s Pilates e é comandado pelo sua filha Sari Mejia-Santo e sua neta Daria Pace.

  • Jay Grimes 

 Um dos anciões vivos e ativos atualmente. Jay Grimes estudou profundamente o Método Pilates com Joseph e principalmente Clara durante mais de 10 anos. Seu estúdio chama-se Vintage Pilates, fica na Califórnia e além de um programa de formação, ele viaja o mundo ministrando workshops e palestras, estando sempre presente nas Conferências de Pilates Clássico dos EUA e da Europa anualmente.

  • Mary Bowen 

Também ainda ativa nos dias de hoje, Mary tem o seu próprio estúdio na cidade de Nova Iorque e ministra workshops, inclusive para contar de sua experiência quando frequentou o estúdio de Joe e Clara nos anos 60. Ela ministra treinamentos e workshops com uma visão diferente, em relação ao psique, pois sua formação é em Psicologia.

  • Kathy Grant (1921 – 2010) 

Grant foi uma das únicas pessoas a ter um certificado assinado por Joseph Pilates. Uma espécie de certificação de formação profissional para estudantes, porém Joe Pilates não tinha nenhum curso nem um programa de certificação para professores. Kathy Grant adicionou sua herança de bailarina e agregou ao Método Pilates, porém manteve o repertório de Joseph em seus ensinamentos. Deixou discípulas para seguir com seu legado, a querida Cara Reeser e Blossom Crawford.

  • Lolita San Miguel 

Lolita é outra estudante original que leciona até os dias de hoje, inclusive este ano de 2015 teve o seu programa de formação Legacy Training lançado no Brasil. Assim como Kathy Grant, recebeu uma certificação assinada por Joseph Pilates, através da Universidade do Estado de Nova Iorque em fevereiro de 1967, ano em que Joseph Pilates faleceu. Ela conheceu Primeiro Carola Trier e também Kathy no estúdio de Carola.  Frequentou e treinou com Carola por 7 anos no início dos anos 60, e foi a única certificada por ela. Ela soube através de Kathy Grant que Joseph Pilates era vivo, pois ela não sabia que ele era vivo e estava a poucas quadras dela. Foi então conhecê-lo. “Lolita mudou -se com o marido para Puerto Rico em 1977, onde fundou o Ballet Concerto de Porto Rico, a melhor companhia de balé de Puerto Rico – e foi Directora Artístico e executivo por 28 anos .San Miguel também fundou “Pilates y Mas , Inc.” em Porto Rico , em 2000, para ensinar , treinar e certificar os professores em associação com a Polestar. Ela se aposentou do Ballet Concierto em 2005 para se dedicar mais tempo para ensinar , treinar e dar conferências e seminários sobre o método Pilates.” Em 2012 fundou nos EUA o seu próprio programa de certificação, o Legacy Training, e antes disso existia o Master Mentor Program, que certificava professores que já eram formados em Pilates.  Desde 2005 também começou a ministrar workshops em conferências de Pilates. 

  • Carola Trier (1913 – 2000) 

 Carola conheceu Joseph Pilates e sua Contrologia no ano de 1948 e 10 anos depois logo abriu seu próprio estúdio, a princípio com o concentimento do próprio criador, já que seus aparelhos foram feitos por Joe Pilates. Ela se aposentou em 1986.

  • Eve Gentry (1909 – 1994)

Eve tem uma parte super importante de sua história com Joseph Pilates documentada em vídeo, um dos documentos mais impressionantes sobre a Contrologia. Eu tive a oportunidade de comprar em uma das conferências da PMA que participei e é realmente impressionante e emocionante. Eve Gentry conheceu Joe e Clara Pilates em 1955 quando fez uma mastectomia após um câncer de mama, ela perdeu o movimento do braço e fez aulas com Joseph durante um ano e recuperou toda a sua força e arco de movimento! Ele não criou um sistema de reabilitação específico para a mama, mas sim utilizou o seu repertório original do Reformer, o Pedi Pole, o Magic Circle e o “Tens-o-meter for the head”, usado para fortalecer a musculatura da cervical. Após a morte de Joseph, Eve se mudou para Santa Fé no México, abriu seu próprio estúdio e posteriormente  desenvolveu seu programa de pré-Pilates chamado The Gentry Method no ano de 1991. Sua discípula Michelle Larsson ministra Workshops e conta a história de Eve através desse seu documentário até hoje.

  • Ron Fletcher (1921 – 2011) 

Assim como Eve e outros anciões, Fletcher também inseriu sua herança da dança em sua visão na Contrologia. Bailarino da mais importante companhia de dança Contemporânea do mundo, a pioneira Martha Graham, conheceu Joe Pilates nos anos 60 , e nos anos 80 levou o Fletcher Work para LA na California.

  • Robert Fitzgerald (não foram encontradas suas datas na bibliografia e fontes consultadas)

 Após a morte de Joe Pilates, Bob abriu seu estúdio próprio na cidade de Nova Iorque. Ficou muito conhecido e super frequentado por dançarinos, por ter como clientes os bailarinos da Companhia Martha Graham. Bob teve sua experiência com o Método Pilates através de Carola Trier. Segundo a Biografia Hubertus Joseph Pilates, Robert Ftzgerald não chegou a fazer aulas com Joseph Pilates.

  • Bruce King (1925 – 1993) 

 Bailarino e natural da Califórnia, radicado em Nova Iorque, chegou ao estúdio de Clara e Joseph Pilates no ano de 1958 com uma péssima forma, segundo Clara, que contou a Romana que ele fez apenas o Footwork no Reformer durante 6 meses até começar a melhorar sua performance e shape. Abriu seu estúdio nos anos 70.

Um bom retorno à vida a todos!

Myra

IG: @myrapilates

Fontes:

Pilates Clássico e a Gravidez – Por Myra Hirano

Esse é o meu segundo texto sobre essa relação maravilhosa aqui no Blog. O Pilates é um Método excelente para ser praticado durante a gestação. Muito se fala sobre ser uma técnica que trabalha o corpo inteiro, mas é preciso entender que não existem exercícios isolados de cada parte e que ao final da aula você terminou trabalhando “tudo”. A linha de Pilates Clássica, ou ainda a Autêntica, são as que mais se aproximam da criação de Joseph Pilates, mas não somente por fidelidade e sim pois enxergamos em sua Contologia um programa único e coerente, que nos leva a um encontro complexo e profundo com nós mesmos.

Trabalhar o corpo todo significa trabalhar as raízes e as fontes de onde cada movimento do nosso corpo começa e se desenvolve. Em todos os exercícios originais estamos conectados com cada parte, em Pilates nunca existe uma pausa, estamos sempre acionando cada vez mais a nossa musculatura, ou alongando e prolongando para cada vez mais longe, e também “crescendo” . Um crescimento contínuo de postura, suporte e consciência. Não é preciso inventar, pois a invenção já está em nossas mãos, basta conhecer e saber usar. 🙂

O que tudo isso tem a ver com a Gravidez?

O corpo da gestante passa por muuuitas transformações desde o momento em que o hormônio HCG (Gonadotrofina Coriônica Humana) é produzido no corpo da mulher após a fecundação, por isso é ele que mostra que a mulher está grávida e a partir daí muitas alterações hormonais acontecem, estimulando o corpo a produzir uns e inibir outros. O corpo já não é o mesmo e agora o bebê vai começar a crescer dentro da mãe, e a medida que o tempo vai passando, esse crescimento altera também o corpo da mulher grávida para se adaptar ao novo morador. 
As mamas e a barriga crescem mudando o centro, o corpo “relaxa” para se expandir e se preparar também para o parto. É fácil entender que a estrutura músculo-esquelética é que vai dar o suporte para uma postura saudável durante a gestação. O Programa de Joseph Pilates então já chega como grande aliado, trabalhamos uma boa postura que é construída e lapidada através de exercícios naturalmente funcionais, sem sobregarga e que envolvem vários movimentos de uma só vez, engajados e fluidos.

Além disso, outros sistemas no corpo da grávida também irão se modificar para cada fase, como o Sistema Circulatório, o Linfático, dentre outros. O Pilates também contribuirá para um melhor convívio com esse corpo diferente e gerando uma gestação mais saudável.
Na minha experiência, dos 34 exercícios originais do repertório do Mat, apenas 5 não terão adaptação, os demais devidamente modificados poderão ser feitos em toda a gestação de uma grávida saudável. Os exercícios dos aparelhos também podem ser adaptados caso seja preciso, sem que haja necessidade de criar algo novo ou perder a riqueza que o Método Pilates pode nos proporcionar. Podemos considerar a Técnica de Pilates como uma atividade moderada, o que é uma recomendação de consenso mundial no período gestacional.

Foto: internet.

Todos as organizações importantes e principais sociedades de Ginecologia e Obstetrícia do mundo, publicam estudos anualmente mostrando que a gravidez não deve ser vista como uma doença, que é preciso inclusive perder o medo da prática de exercícios físicos durante esta fase da vida da mulher. Exatamente ao contrário, os exercícios irão contribuir para uma gestação, um parto e um pós-natal mais saudáveis ainda.

Os últimos estudos comprovam que 30 minutos de exercício moderado que proporcionam aumento do tônus e da flexibilidade, geram inúmeros benefícios, tais como:

  • Manutenção de uma boa postura.
  • Diminuição do risco de diabetes gestacional em até 36%.
  • Diminuição do risco de aumento de peso gestacional.
  • Diminuição das cãimbras nas pernas.
  • Diminuição e prevenção de dores lombares (lombalgia).
  • Ajuda a preparar o corpo para o parto natural e a chegada do bebê.

Um novo estudo feito na Washington University School of Medicine em abril de 2015 em ratas de laboratório, descobriu que a atividade física por ter influência no metabolismo, pode até reduzir o risco de doenças cardíacas em recém-nascidos! A ciência está cada vez mais tentando provar os benefícios da prática de exercícios no período gestacional. O próximo passo é testar em humanos e amadurecer tais estudos.

É inegável que não há nenhuma contra-indicação absoluta em relação a qualquer tipo de atividade física para uma gestante saudável durante toda a gestação, porém é de consenso mundial que esta seja feita com segurança para a mamãe e o bebê. Por isso, fazer 30 minutos por dia de exercícios moderados como por exemplo o Pilates Clássico, uma caminhada, natação, são ideais para as gravidinhas saudáveis desde o primeiro trimestre.

Um bom retorno à vida a todos!

Myra
IG: @myrapilates

Long Stretch Series – Por Myra Hirano

Depois de ter me formado na linha Clássica do Método Pilates comecei a entender e também a ver mais sentido nos exercícios e aparelhos criados por Joseph Pilates, concluindo que Pilates não é apenas um método de exercícios aleatórios, nem uma sequência que deve ser seguida simplesmente porque ele criou assim, ou foi passado por quem estudou e treinou com ele impondo tal forma, mas sim porque o Joe realmente estava à frente do seu tempo. Seu Método era e continua sendo completo, genial e único, costumo dizer que Pilates é atemporal!

O Método Pilates orginal é complexo e extremamente profundo, por isso foi necessário dividirmos seus mais de 300 exercícios, incluindo algumas variações, nos níveis básico, intermediário e avançado.
Uma das coisas mais importantes que devemos considerar é o domínio da prática. Não se pode passar para o nível intermediário sem ter o domínio do básico. Assim como não conseguiremos evoluir para o avançado sem antes dominar o intermediário.

Hoje quero falar sobre a série chamada Long Stretch do aparelho Reformer. Ela é composta de 6 exercícios e só será feita completa pelo praticante de nível avançado. O único exercício que aprendemos na prática iniciante é o Elephant, que leva este nome pois a posição que nos encontramos no Reformer e principalmente a nossa coluna que está em flexão, lembra o formato da coluna deste animal. Veja a foto abaixo:

Foto : internet.
A seguir assistam uma aula iniciante super fluida de uma praticante que já domina o repertório básico, olhem lá o Elephant na série do Reformer e apreciem a beleza da Contrologia sem moderação! Aula comandada pela expert Kathi Ross-Nash para o Pilatesology.

  • Long Stretch Series Completa:
Tabela da Long Stretch Series para um Reformer com as medidas e tensões originais de Joseph Pilates.
    • Objetivos gerais dos exercícios da Long Stretch Series:

    – alongar e fortalecer a coluna
    – estabilizar a parte superior do corpo
    – fortalecer o quadril
    – fortalecer a região escapular
    – fortalecer os braços
    – elevar a potência dos músculos do powerhouse
    – alongar a cadeia anterior (Downstretch)
    – alongar a cadeia posterior
    – mobilizar, flexibilizar e fortalecer os ombros

    • Dicas para o sucesso:

    – Esteja sempre atento em partir da correta posição inicial.
    Não exceda o número de repetições e o das molas (verifique a tensão de acordo com a marca de aparelhos), caso contrário não conseguirá realizar os exercícios com eficiência, perdendo a qualidade e os seus benefícios.

    – Não puxe a barra de pés, você deve justamente fazer o contrário. Empurre a barra a todo tempo principalmente nos exercícios 1 ao 4.
    Empurre e traga de volta o carriage (carrinho) sempre a partir da força do powerhouse.

    – Cuidado para não hiperextender os cotovelos e punhos. Caso necessário utilize um antiderrapante na footbar (barra de pés).

    – Volte o carriage sempre resistindo a força das molas e de forma fluida e energética, com muito controle.

    – Cuidado para não “despencar” o corpo sobre os braços ou nas molas, verifique principalmente a posição do quadril e da cabeça. Esteja certo de seu alogamento axial e suporte através dos braços e cintura escapular, movendo o carriage a partir da parte inferior do corpo e powerhouse.

    – Tenha cuidado se você tem problemas ou patologias no ombro! Procure um profissional capacitado para te orientar.

    O vídeo a seguir mostra apenas parte de uma aula avançada do Pilatesology novamente com Kathi Ross-Nash, onde ela realiza a Long Stretch Series. Nesse resumo aparece o Upstrech, o Elephant com várias variações , o Arabesque I, II e III e o Long Back Stretch. A aula completa você consegue ver assinando o portal.

      • O Método e suas Conexões:

      Gosto de ver as relações dos exercícios e como eles nos preparam para o que está por vir. Essa série tem uma grandiosa importância para aumentarmos o nível de dificuldade e desafios dentro do Método Pilates.

      Por exemplo, no treino de uma pessoa iniciante o Elephant introduz o formato e a conexão que iremos manter na próxima série que é a Knee Stretch, temos o mesmo shape para o Round Back e Knees off.

      O Elephant também nos educa para o exercício Pull up na Wunda Chair.

      O aprendizado de toda a série Long Stretch é um dos que nos prepara para no futuro conseguirmos realizar os exercícios Snake e o Twist, ambos avançados também do Reformer.

      Essas ligações também fazem sentido para vocês? Compartilhem suas experiências aqui nos comentários. 🙂

      Um bom retorno à a vida a todos!

      Myra
      IG: @myrapilates

      Stomach Massage – Por Myra Hirano

      Tonifica o tronco, massageia o estômago e alonga muito! Esse é o Stomach Massage, uma série de exercícios do Método Pilates executada no aparelho Universal Reformer. A série é composta de 4 variações originais e elas estão conectadas em uma relação com outros exercícios do Pilates, passando do básico até o avançado em níveis de dificuldade. 

      1. Round Back

      2. Flat Back

      3. Reach

      4. Twist

      Como podemos identificar facilmente pelo nome, o foco é a região do estômago, que se encontram os músculos abdominais, aliás, esses 4 exercícios são puro powerhouse, é através dele que o exercício deve acontecer. 

      Eu me preparando para o Stomach Massage series. Foto: Nano Pilates

      Como mostra nessa minha foto acima, nos posicionamos sentados no carriage, de frente para a footbar e apoiamos as pontas dos pés em pés de pilates nesta barra. Empurramos o carriage pelos músculos abdominais, e não pelas pernas. Os joelhos não podem hiperestender, dar aquele “tranco” ao realizar o movimento de empurrar o carriage. Os movimentos de ir e vir devem ser bem fluidos, é um trabalho com muito foco também no alongamento axial, essencial para que a postura não “despenque”.

      É curioso percebermos como a posição dessa minha foto, no Round Back lembra o Rolling Like a Ball do Mat Pilates. Já o Flat Back eu sinto que me prepara para a série da Short Box, o Reach me lembra o esforço da parte superior do corpo para manter em um Teaser e o Twist me ajuda em todos esses e nos exercícios do Mat como o Spine Twist e Saw. Essas conexões do Método fazem sentido para vocês também? 

      – Algumas dicas para o sucesso:

      • Esteja com o seu powerhouse bem engajado a todo tempo.
      • Contraia os músculos internos das coxas, ativando a linha média.
      • Não trave os joelhos ao estendê-los.
      • Esteja conectado também com a parte posterior das pernas até os glúteos, principalmente na extensão.
      • Não desconecte os calcanhares e sua relação com a linha média.
      • Empurre o carriage a partir da força do powerhouse e não das pernas.
      • Resista as molas na volta do carriage.
      • Alongue a coluna de forma que haja espaço entre as vértebras, com alongamento axial.
      • Mantenha as costelas afastadas da barriga e a barriga sem colar nas pernas.
      • Scoop: contraia os músculos abdominais levando a barriga para dentro como se estivesse cavando com uma conchinha de feijão, pra dentro e pra cima.
      • Estabilizar o quadril sem travar o movimento e não perder a fluidez.

      Agora segue um video do canal do Youtube Balanceconie de uma aula do Reformer com a série do Stomach Massage para que possamos entender melhor. 🙂

      Um bom retorno à vida a todos!

      Myra
      IG: @myrapilates