Respira, expira, só não pira! – por Myra Hirano

” ‘Squeeze’ every atom of air from your lungs until, they are almost as free of air as is a vacuum”


” ‘Esprema’ cada átomo de ar dos seus pulmões até que eles estejam tão vazios de ar como um vácuo”. 

Joseph Pilates 

Foto: internet.
A Respiração é considerada um dos princípios do Método Pilates, digo considerada pois Joseph Pilates não especificou esse princípios conhecidos atualmente por nós ( respiração, concentração, centro, controle, precisão e fluidez).
Esses princípios foram listados a partir da identificação (interpretação) de seus 2 únicos livros, vídeos e outros materiais existentes. (ISACOWITZ 2011)
Isso me faz entender porque há tanta divergência em relação a técnica da respiração usada nos exercícios de Pilates pelas escolas que existem hoje. Mas de qualquer forma, todas aceitam os princípios como base desse sistema.
Sempre que tenho alguma dúvida em relação a qual forma se aplica melhor, qual escola escolheu a melhor técnica respiratória ou outra particularidade do método, o que devo seguir ou não, recorro a “bíblia” rsrs Return to Life Through Contrology, as palavras do Sr Pilates, ninguém melhor do que o criador para me guiar.
Assim como qualquer “bíblia” acredito que se possa também interpreta-la de diversas formas, dependendo da pessoa que está lendo, e de alguma maneira outras coisas/idéias podem influenciar essa interpretação. De qualquer jeito, Pilates é prática ( e também ciência, claro), e na maioria das vezes encontro a resposta é praticando mesmo.
Analizando a obra de Joseph Pilates vemos que a prioridade é respirar! Não importa se você vai fazer pelo nariz, ou pela boca, se vai expandir um lado, depois o outro, se vai ins ou se tem que ex em um exato momento….. Enfim, Joseph descreve muito bem o mais importante (pensando na ciência), expire (coloque o ar para fora) o máximo que você conseguir, respire e sinta o ar fresco (inclusive ele até compara que a sensação deve ser como se você estivesse respirando aquele ar puro lá no topo de uma montanha). Além disso, ele alerta da importância de uma respiração consciente, fazendo com que nós respiremos para que nosso corpo aproveite o máximo das trocas gasosas. Entra oxigênio, elimina dióxido de carbono. Quanto mais ar, mais oxigênio é carreado para as células do nosso corpo todo, logo ele funcionará melhor, o internal shower (um espécie de banho interno, dizia o Joe ).

 

Imagem ilustrando os pulmões e em destaque os alvéolos pulmonares e os vasos sanguíneos. Imagem: internet.
 

No livro também encontramos um parágrafo em que ele pede que nós (os praticantes) devemos levar a atenção para a respiração ao fazer os exercícios de enrolar e desenrolar a coluna, como no The Roll Up, por exemplo. Fiz isso e percebi que há uma conexão incrível com a respiração no que diz respeito a mobilização da caixa torácica e a conexão com a nossa coluna vertebral, até porque anatomicamente já faz sentido.

A respiração funciona como um combustível para o nosso corpo, e podemos pensar que ela também é um combustível para o que nós chamamos em Pilates de Powerhouse.

Região que chamamos de powerhouse composta por todos os músculos desta área. Foto: internet.
Imagem do powerhouse como se fosse uma sanfona e um corselet associado a respiração. Imagem: internet.
Joseph também faz relação da respiração com o coração, o que também faz muito sentido já que fisiologicamente a troca gasosa acontece através dos pulmões e da circulação sanguínea, acontecendo diferentes pressões, trabalhamos o sistema podendo acalmar as emoções e até ajudar a prevenir doenças cardiovasculares. O Hundred por exemplo é um exercício com foco na respiração, fluida , completa, e ponto! (Fiz um post sobre este exercício, já leram?).

O que eu quero dizer com tudo isso é que em momento algum Joseph escolhe algum tipo de respiração específico ou menciona se você deve inspirar antes de começar, ou expirar na força, ou ainda fazer barulho ou não… Ele fala, e muito bem, sobre a importância de respirar livre, completo e consciente, “ar para dentro, ar para fora”.

Ao chegar nas páginas de Return to Life em que ele descreve cada exercício, observei uma coisa em comum nos 34 exercícios, ele não fala de respirar antes de começar, apenas quando ele descreve o primeiro ou o segundo movimento. Outra palavra que está presente em todos os exercícios é SLOWLY (lentamente), seja expirar ou inspirar ele coloca em caixa alta, inclusive. Ou seja, respire consciente, devagar, preste atenção na respiração.

Além disso, dos 34, apenas 1 exercício ele começa com a expiração. Todos ele menciona com uma inspiração primeiro, mas também nem sempre no primeiro movimento. As vezes a respiração vem mencionada no meio do exercício, exceto um único, o exercício The One Leg Circle, que ele começa pedindo uma expiração antes de ins, será que tem um porquê? O que vocês acham?
A meu ver não existe uma receita de bolo para a respiração no Método Pilates, e não só porque seu criador não a especificou, mas porque na prática entendo que o mais importante é ter fluidez e consciência no que diz respeito a respirar completamente, respirarmos e principalmente expirarmos o máximo que conseguirmos, através de uma respiração calma, natural e consciente, expandindo e conectando , dando ritmo ao movimento que o nosso corpo está executando.
Atualmente sabemos que uma respiração lateral, chamada intercostal, ajuda a manter a contração abdominal enquanto estamos fazendo força, nos exercitando, como em Pilates por exemplo. Mas nem sempre o foco de um exercício do Método Pilates é a região abdominal. Isso me faz concluir que nem sempre precisaremos desse tipo de respiração e mais uma vez entender que não existe receita certa a seguir.
Existem inúmeras técnicas de respirar, principalmente nas atividades orientais como Yoga, Tai chi chuan, Chi kung, Lian kung, artes marciais em geral… Na Fisioterapia, técnicas como RPG, tem importância específica e muitas vezes ligação muscular para direcionar um tratamento da postura. Energia vital, chakra, tratamento de reabilitação, todos tem seus benefícios dentro de seus porquês.
O importante em Pilates é respirar, ou melhor, expirar!  Existem até exercícios que dão mais foco na respiração como o hundred e o breathing do Cadillac, mas são bem poucos! Até um acessório chamado Breath-a-cizor para ajudar a controlar a saída de ar ( máximo que conseguimos expirar) foi criado por Joseph, mas não era uma prioridade usar em todas as aulas, era apenas um exercício para se conscientizar da utilização da expiração máxima, um educativo. Pense que se você ficar preso aonde deve puxar o ar, onde deve soltar, acabará perdendo a fluidez, o fluxo e a própria consciência corporal.

Deixe a respiração ser mais livre através do movimento fluido e tente conectar o seu corpo através dos exercícios. Acima de tudo, nunca perca a fluidez! Boa prática e reflexão pra vocês!

Breath-a-cizor, acessório criado por Joseph Pilates para ajudar a expirar completamente, “expulsando” os poluentes e abrindo espaços não utilizados normalmente pelos pulmões. Foto: internet.
“Ar para dentro, ar para fora.” Joseph Pilates

 

Figura do livro Your Health de Joseph Pilates, no capítulo em que ele fala sobre a importância da atividade física na postura, respiração completa e na qualidade de vida das crianças. “Primeiro, eduque a criança” disse ele.
 

Um bom retorno à vida para todos!
Myra

Instagram: @myrapilates
*Contribuiu para informações sobre o Breath-a-cizor: Fernando Albernaz (IG:@pilatesmais)

*Pilates Anatomy, ISACOWITZ Rael, Human Kinetics, 2011

5 comentários em “Respira, expira, só não pira! – por Myra Hirano

    1. Muito obrigada, Tati! Fico super feliz que tenha gostado. Também acredito que quanto mais oerto das origens, mais respostas e sentido encontramos para concluirmos a maioria das coisas. Um beijo grande em você, Myra

      Curtir

  1. Maravilhosa abordagem sobre a respiração no método Pilates, parabéns Myra! Amo aprender sempre um pouco mais sobre pilates com vc!!! Grata por partilhar suas experiências e estudos com a gente!!!😉😘

    Curtir

  2. Myra muito boa a sua publicação a respeito da respiração no método pilates ,pois há muitas divergências de qual a melhor maneira de usar respiração ,quando expira ou inspira ,gerando conflitos de como usar no exercício sem perder fluidez e nada melhor pra entender é resgatando do princípio ,do que Joseph acreditava e isso vc faz muito bem no seu texto .Parabéns ,e a cada dia me apaixono maia pelo método clássico .

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s