Esteatose Hepática, a doença do fígado gordo – Por Dra Pollyana Aoki

 

A esteatose hepática é um quadro muito comum atualmente e ocorre quando o fígado é infiltrado de GORDURA. É a principal causa de alterações nas enzimas hepáticas que observamos nos exames laboratoriais (TGO, TGP e GAMA GT). É uma condição que pode manifestar-se também na infância e a estimativa é que 30% da população apresentem o problema e que aproximadamente metade dos portadores possa evoluir para formas mais graves da doença.


As principais causas são: abuso de álcool, hepatites virais, OBESIDADE (principalmente a OBESIDADE ABDOMINAL), diabetes, dislipidemia, algumas drogas (como os corticoesteroides) e sedentarismo. Perder peso para ganhar novamente depois, ato conhecido como efeito sanfona, também pode ser uma das causas. Já as dietas da moda podem fazer mal por induzirem PERDA BRUSCA DE PESO com diversas privações. A rápida diminuição do peso corporal piora a Esteatose Hepática!!

A Esteatose Hepática é assintomática, mas se configura como um grande risco, pois dela podem derivar sérias doenças como cirrose hepática, além do diabetes tipo II e até mesmo o câncer de fígado. O diagnóstico é obtido através de ultrassonografia de abdômen e classifica-se como leve, moderada ou severa ou GRAU I, II ou III.

Não existe um tratamento específico para o fígado com excesso de gordura. Ele é determinado de acordo com as causas da doença, que tem cura, e baseia-se em três pilares: estilo de vida saudável, ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA e prática regular de exercícios físico. É muito importante o emagrecimento de forma saudável tendo o foco principal, a redução da circunferência abdominal. Associado a isso restringir consumo de álcool e refrigerantes. Na maioria dos casos o uso de alguns suplementos e fitoterápicos ajudam de forma eficaz no tratamento, mas isso só é possível após avaliação individual.

Alguns alimentos que ajudam o seu fígado a funcionar bem: alho, cebola, aspargos, ovos, levedura de cerveja, lentilhas, ostras, sardinha, atum, nozes, amêndoas, castanha–do-para, óleo de oliva extravirgem, cogumelos, limão, acerola, frutas cítricas, melancia, pêra, uva, abacate, batata doce, cenoura, espinafre, gengibre, ostras, tomate, couve, brócolis, couve-flor, repolho e vinagre de maçã.

Ao receber o diagnóstico, procure logo o profissional Nutricionista para orientá-lo no tratamento, pois a Esteatose Hepática tem cura!

Até semana que vem!

Polly Aoki

IG: @nutri_pollyaoki

Um comentário em “Esteatose Hepática, a doença do fígado gordo – Por Dra Pollyana Aoki

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s